Porque razão os neo-liberais preferem o Desemprego à Inflação?


Este texto é, de certa forma, um apêndice ao post dedicado ao lançamento da candidatura do Passos Coelho ao Nobel da Economia e, a latere, explica de certo modo por que razão se prefere manter a generalidade dos cidadãos longe da escola e do conhecimento. É que, na Sociedade do Conhecimento, as suas débeis teorias, anátemas e proclamações seriam apenas, com toda a certeza, motivo da chacota geral!

O dilema gerado pelo “multiplicador”, o seu efeito colateral, digamos, é a subida generalizada dos preços resultante do aumento da Procura. Esta questão torna óbvia a resposta à pergunta supra. Confrontados com a opção POLÍTICA entre aceitar o efeito inflacionário na Economia, que conduz inexoravelmente à desvalorização da Moeda, em particular, e de todos os ativos, em geral, isto é, ao empobrecimento dos ricos, e/ou procurar alhures outra vítima para suportar os custos económicos e financeiros do “multiplicador”, os neo-liberais escolhem esta última opção.

Com efeito, só é possível contrariar o efeito inflacionista da “injeção” de capital na economia usando uma de duas ferramentas:

  • a primeira é através da diminuição dos custos de produção das empresas e da atividade económica, através da redução dos chamados “custos de contexto” – como os da energia, retribuição do capital, etc., por exemplo – , que afectam seriamente os interesses das grandes corporações e dos mais ricos;
  • a segunda é através do aumento do desemprego. Este conduz à desvalorização do trabalho – à depreciação do fator de produção mão-de-obra. O desemprego é essencial para contrariar o efeito inflacionário (que desvaloriza o dinheiro, relembro) inerente aos períodos expansionistas.

Fica agora claro por que razão os neo-liberais, quando confrontados com o dilema “Inflação ou Desemprego?”, não hesitam em optar por este último. Afinal, do ponto de vista deles, a verdadeira pergunta é: quem é que vai ter de empobrecer para o sistema funcionar? Os mais ricos ou os mais pobres?

E a resposta é óbvia: se é indispensável empobrecer alguém, que sejam os mais pobres, que já estão habituados!

(dedicado ao Chico Marley)

Ver partes I e III deste artigo em:

I – Passos Coelho: putativo Nobel da Economia?

III – De como vamos todos ser Empresários

Anúncios

5 thoughts on “Porque razão os neo-liberais preferem o Desemprego à Inflação?

  1. Tudo isso faz sentido, no entanto, penso que existe uma explicação mais evidente: A falta de dinheiro real. Como todos sabemos, apenas uma pequena percentagem do dinheiro que circula na nossa economia é real; a grande fatia, que chega a atingir os 98% em algumas nações, é o chamado dinheiro de divida. Dinheiro que foi criado numa qualquer dependência bancária através do processo de premir algumas teclas do teclado do pc por parte do estagiário gestor de clientes… A vida dos bancos é esta: emprestar dinheiro que não têm enquanto podem, fazendo que o dinheiro de divida se converta em bens materiais como casas e carros, para de seguida, quando estão perto do rebentamento da bolha, retraírem. Tudo isto é feito com a ajuda dos seus vassalos, os chamados políticos, que através de programas desenhados e assinados por pessoas que ninguém conhece, escudados por instituições como o FMI, aplicam medidas de austeridade, que mais não são do que o instrumento necessário aos bancos para empobrecer as pessoas e proceder á recolha do tal dinheiro de divida; agora, de preferencia, convertido em bens palpáveis.

    O maior erro da sociedade moderna foi deixar (os neo-liberalistas) de sustentar a sua moeda no ouro ou prata. A partir do momento em que se tornou possível para qualquer instituição bancária “imprimir” mais dinheiro por dia que a Casa da Moeda por mês, nunca mais voltamos a viver descansados…

    O bom de tudo isto é que tudo na vida é cíclico. Tudo aquilo que começa acaba ou transforma-se… e quanto maiores são os impérios, maior é a sua queda. Foi assim com Roma, assim foi com a Alemanha do 3º Reich e assim vai ser muito em breve com os Estados Unidos.

    Veja-se Espanha… é só olhar para os protestos das pessoas! PP? Eles querem lá saber dos partidos políticos… Por lá já todos sabem que esses não passam de marionetas. Personagens vazias que permitem que a banca gananciosa lhes meta a o braço pelo cú acima e os use a seu belo prazer. Humilhar e mal tratar o próprio povo é o preço que essas marionetas têm de pagar a quem os poupou a uma vida medíocre, proporcional aos seus valores. E é por isso que em Espanha os alvos são os bancos! Que são o centro de todo o mal que se passa no mundo: Domínio de nações, guerras, farmacêuticas, etc…

    • Os bancos não imprimem dinheiro. Imprimem acções com um valor cada vez menor.
      A casa da Moeda também já não imprime dinheiro. Só o BCE é que pode imprimir alguns euros por ano (mas poucos).

  2. Pingback: De como vamos todos ser Empresários | ergoressunt

  3. Meu caro João, muito obrigado. Fez-me lembrar aquele cartoon da senhora Merkel a rejeitar mais dinheiro e a pugnar pelo chicote, gritando: – Mais austeridade!
    Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s