“Bilderberg: As minhas perguntas a Balsemão e a sua resposta”


balsemaoDo Blogue Perguntas InOfensivas

Por Marisa Moura

“Ontem enviei perguntas, por e-mail, a Francisco Pinto Balsemão, presidente do grupo Impresa (canais televisivos SIC, semanário Expresso, revistas Visão, Exame, Caras, etc.), fundador do Partido PPD – Popular Democrático (actual PSD – Partido Social Democrata), ex primeiro-ministro de Portugal, e um membro da comissão de direcção das reuniões Bilderberg, encabeçada pelo presidente do grupo financeiro dos seguros Axa e cujo chairman é o quase centenário David Rockefeller.

Copio abaixo o e-mail que enviei a Balsemão e a nota sobre a resposta que recebi:

Dr.  Balsemão,

Sou freelancer desde que saí do Grupo Impresa em 2010 e é nessa qualidade que lhe dirijo as questões que seguem abaixo, sobre a crise política do momento, o grupo Impresa e o clube de Bilderberg, às quais agradeço que responda logo que lhe seja possível, nas próximas semanas.

Antes, ainda uma obrigatória palavra sobre a minha saída do grupo Impresa. Demiti-me por razões que creio serem do seu conhecimento. Lamento ter saído por tais razões, lamento a forma como tive de sair e lamento ter-me visto obrigada a tornar pública a situação, bem como lamento a forma pela qual a tornei pública. Pauto-me exclusivamente pelos mais nobres valores de cidadania e ética profissional, pelo que a esses, e apenas esses, jurei lealdade. É sob esse mesmo compromisso que, por mais insólito que pareça, lhe dirijo hoje estas questões. Espero que compreenda e reaja em conformidade com essa compreensão enviando de volta respostas.

Com os meus sinceros cumprimentos e agradecimentos, aqui seguem então.

As questões:

1 – Duas semanas após a reunião do clube de Bilderberg de Junho, em que o Dr. Balsemão levou Paulo Portas (CDS-PP, no governo) e António José Seguro (PS), a revista Exame entrevistou Paulo Portas, que é a capa neste momento em banca. Duas semanas após a entrevista Paulo Portas demite-se do governo e desencadeia eleições antecipadas nas quais Portas e Seguro são precisamente os melhor posicionados para ganhar. Quando Durão Barroso esteve consigo na reunião de 2003 o governo, por outras razões, também mudou. A revista Exame não costuma fazer capa com políticos, mas recentemente já fez duas. Compreende-se que seja a nova linha editorial resultante da nova direcção, mas ambas as capas são com membros centristas do governo (Assunção Cristas, primeiro, Portas agora). Destes factos se infere que neste momento a revista Exame (grupo Impresa) está a fazer campanha por Paulo Portas para as legislativas.

A pergunta é: Que garantias dá aos leitores da Exame, e audiências dos demais órgãos do grupo Impresa, de que esta inferência estará incorrecta? Que garantias dá aos cidadãos portugueses de que os conteúdos que consomem, veiculados pelas revistas Exame e Visão, pelo jornal Expresso e pelos canais da SIC, cumprem estritamente os deveres constitucionais de Informar desta Democracia?

2 – Por que razão inscreve a sua “filiação” no clube de Bilderberg no seu curriculum quando grande parte dos membros nega integrá-lo? Recordo-me, por exemplo, que optou por inscrever essa filiação na pequena bio que o descrevia como orador numa das conferências anuais Portugal em Exame…

3 – Tal como a Maçonaria, o clube de Bilderberg é conotado com secretas conspirações maliciosas ao bem-estar das sociedades, ou no mínimo, poderosas redes de nepotismo. No caso da Maçonaria, em Portugal, têm surgido maçons, como António ArnautJoão Cravinho, a defenderem a transparência relativamente aos seus membros, nomeadamente aos que exerçam cargos públicos. Defende semelhante linha de transparência para o clube de Bilderberg?

4 – Que motivações o levaram a juntar-se ao clube de Bilderberg? Do contributo do Clube para a consolidação da Democracia em Portugal que decisão/decisões destacaria? Porquê?

Mais uma vez agradeço a atenção e compreensão.

Sinceros cumprimentos,

Marisa

***

 Resposta:

A resposta a estas questões veio por telefone na mesma tarde através da secretária de Francisco Pinto Balsemão. O diálogo foi algo assim:

– O doutor diz que tudo o que tinha a dizer sobre esse assunto já disse no programa “Quem Diria”.

Mas há uma pergunta muito concreta sobre o grupo Impresa, por exemplo.

– Ele viu as perguntas. Tudo o que tinha a dizer já disse no programa.

Ok. Ele lá sabe dos seus direitos e deveres…

“Quem Diria” é um programa mensal do canal SIC Notícias (grupo Impresa) que junta duas personalidades à conversa sobre a actualidade e as suas vidas mais pessoais. O último, com Balsemão e a actriz Simone de Oliveira, foi para o ar dia 29 de Junho. Pode ver-se aqui o spot de auto-promoção, mas o programa em si não está disponível no site da SIC Notícias onde constam anteriores edições. Não vi o programa, não sei quem tenha visto e não tenho maneira de ver, pelo que, neste momento, não sei o que Francisco Balsemão disse nesta sua aparição após a reunião Bilderberg do início de Junho.

Facto: Balsemão acaba de ser chamado a garantir aos cidadãos de que é idónea a informação veiculada nos meios do seu grupo de media mas optou pelo silêncio.

***

Notas: bilderberg

1 – Enviei estas perguntas ontem antes de saber que nesse mesmo dia a revista Visão (grupo Impresa) publicou online um artigo que legitima ainda mais a tal inferência de que Balsemão está mandatado, ou auto-mandatado, para, através do seu grupo de media, derrubar o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, ou, pelo menos, enfraquecer a ala social-democrata da actual coligação governativa.

2 – Muitas outras questões haveria a fazer, mas limitei-me às questões mais centradas no momento pois sei que, quantas mais perguntas, menores probabilidades de obter qualquer resposta.

3 – Na pergunta 2, quando refiro que «grande parte dos membros nega integrá-lo», não me refiro em especial às ditas “reuniões Bilderberg” das quais existe um site oficial onde se listam os 35 membros da actual comissão de direcção e anteriores. Referia-me a todos os envolvidos nestas reuniões e paralelamente a elas. Mas confesso: precipitei-me. O site de Bilderberg tem também a lista da ordem de trabalhos das três últimas reuniões e no botão ao lado estão listados os participantes em cada reunião, residentes e convidados como o ministro Paulo Portas e o líder da oposição António José Seguro nesta 61.ª edição. Só percebi isso agora quando entrei na zona da agenda para copiar o link a inserir aqui. Todavia a questão mantém pertinência na medida em que se refere à transparência do Clube.

3.1. – No site Bilderberg afirma-se: «Graças à natureza privada da conferência, os participantes não são limitados  por convenções ou posições pré-acordadas. Assim podem focar-se em escutar, reflectir e reunir pontos de vista. Não há agenda detalhada, não se propõem resoluções, não há votações, e não são publicadas directrizes políticas». Ou seja: o Bilderberg funciona sob uma espécie de regra Chatham House (como aquela que o governo quis introduzir no debate sobre a Reforma do Estado – aberto à sociedade civil mas onde os jornalistas não podiam gravar nem sequer citar alguém sem autorização prévia), mas, no caso de Bilderberg, em versão exacerbada e ilícita. Ilícita na medida em que são por demais evidentes os sinais de que ali, realmente, se elegem os governos de cada Democracia.

3.2. – Se no clube de Bilderberg se alinham rumos que impactam as vidas dos cidadãos, essas reuniões têm o dever de prestar contas e a Imprensa tem o direito e dever de aceder ao conteúdo de tais “plenários”. Nas democracias, a gestão da polis faz-se nos Parlamentos. Se a política passou a ser feita (ou sempre foi, aliás) nos “parlamentos” de Bilderberg e da Maçonaria, sem qualquer cavaco prestado a ninguém, então, na verdade, os Parlamentos são mero engodo para iludir a existência de democracias.

3.3. – Estas sociedades “secretas” estão a funcionar tal e qual como funcionaram os produtos financeiros tóxicos que desencadearam em  actual crise europeia,a partir do subprime norte-americano em 2007. Esses rolaram de forma tão desregulada que provocam os danos que agora se vê. Isto com os líderes da finança sempre a afirmarem que o sector financeiro «é o mais regulamentado de todos».

3.4. – Bilderberg, Maçonaria e demais “secretas” têm de ser regulamentadas. Nos Parlamentos “oficiais”, aprovam-se boas e más leis. Há bons e maus deputados. Mas o que ali se passa, para o bem ou para o mal, é escrutável. Para já, é urgente tornar obrigatório o escrutínio público de Bilderberg e Maçonaria. Já! 

4 – Se tentar abrir os links de cada zona do site Bilderberg e der erro (como é habitual), entre pela página inicial que abre sempre.

5 – Dirigi-me a Francisco Pinto Balsemão como “Dr.” a título muito excepcional, pois, discordando com a cultura de “doutores e engenheiros” dominante em Portugal, reservo o uso a situações muitíssimo excepcionais como esta em que achei que seria melhor não criar anticorpos logo na primeira linha, pois estava em causa um interesse colectivo ainda mais importante do que a perversão por detrás da tal cultura dos títulos (ou, pelo menos, de interesse equiparável, e interligado). No grupo Impresa a esmagadora maioria diz sempre “doutor Balsemão” mesmo em diálogos super-informais longe da pessoa ou de qualquer dos seus mais próximos colaboradores. E optei também pelo “Dr. Balsemão” porque para usar o nome completo, como costumo usar, teria de o anteceder com um “Caro” ou “Estimado” ou “Exm.º” e não me senti com suficiente estima pelo interlocutor para tal cumprimento.

6 – Enviei também ontem perguntas a João Vieira Pereira, director da revista Exame e director-adjunto do semanário Expresso. Perguntei que critérios jornalísticos exactamente justificaram a entrevista ao ministro (embora eles estejam bem defendidos pois Portas é o ministro dos negócios estrangeiros e a Exame é uma revista se negócios). Solicitei  garantias de que estará incorrecta a inferência sobre a relação entre a entrevista a Portas (capa da Exame agora na banca) e a sua presença, com Balsemão, dias antes na reunião de Bilderberg. Solicitei também garantias aos leitores da Exame de que é idónea a informação que ali se publica. Fixei como deadline duas semanas. Uma coisa reconheço: Não tivesse eu trabalhado na Exame e no Expresso e ter-me demitido por “conspirações” do género, e aquela capa não me teria chamado minimamente a atenção.  Pelo que compreendo quem eventualmente vislumbrar laivos de “delírio” nesta minha “tese”.

***

Alguns links sobre este assunto:

»» “Paulo Portas e António José Seguro estiveram no clube de Bilderberg” – SIC Notícias, 09/06/2013
»» “As Soberânias Nacionais Estão Mortas” – Entrevista, em Inglaterra, ao ex-apresentador da BBC e estudioso de Bilderberg, David Icke, na última reunião, pelo português Basílio Martins – jornal O Diabo, 03/07/2013 [com exemplo do Tratado de Lisboa, o tal em que Sócrates soltou o célebre «Porreiro, pá!» Não embarcasse David Icke em certos ambientes freaks ligados à espiritualidade, pondo-se a jeito para ser descredibilizado, e ninguém teria razões para acusá-lo de “desequilibrado” pois factos é coisa que não falta nesta evidência “conspirativa” de que os Parlamentos são mero inglês-ver].
»» Será também isto do marido da ministra mais uma coincidência Balsemão/Bilderberg? [ver blogue]
»» Por que será que algo me diz que o Portas preparou isto há umas semanitas? [ver blogue]”

Nota de João de Sousa

Super-Espião tuíta e desencadeia avalanche de page views

Publiquei este trabalho da Marisa Moura há pouco mais de um ano, precisamente a 4 de Julho de 2013, (evidentemente) com a enfática autorização da autora.
Na altura, e durante algumas semanas, o post esteve entre os mais lidos, tendo feito o seu caminho normal e, à medida que o tempo foi decorrendo, desaparecido completamente das listas diárias dos mais lidos.
Até há três dias: sábado passado (26/07/2014), não sei como nem porquê, o super-espião Jorge Silva Carvalho, ex-chefe das secretas, leu o post acima neste blogue e decidiu tweet(tá-lo). Desde então o número de visitas não cessa de crescer. Disparou em flecha!
Embora curioso sobre as motivações que terão levado a dita personagem a achar que um post com mais de um ano merecia a sua atenção e empenho pessoal na sua divulgação, não posso deixar de lhe agradecer a enorme visibilidade que, em poucos dias, este blogue adquiriu. 😀

Um doce a quem adivinhar porquê…

JS

Ver também o artigo “Se eu fosse o Salgado

Anúncios

26 thoughts on ““Bilderberg: As minhas perguntas a Balsemão e a sua resposta”

  1. Pingback: A Insustentável Leveza da IMPRESA | PINN

  2. Quando li k o senhor todo poderoso da Impresa convidou Paulo Portas e José Seguro para a famosa reunião escrevi no FB O FUTURO POLÍTICO DE PORTUGAL TÁ A SER TRAÇADO e não me enganei inflizmente para mal de todos. O alvo a abater é o ministro da economia e, claro, o primeiro ministro. Não concordando como o plano de austuridade k o governo tem seguido k tem destruido a nossa economia desemprego etc. etc. reconheco k o primeiro ministro tem feito o possivel para governar num ambiente terrível de compadrio e mafia governativa assim como banqueiros item item.
    Paulo Portas, o Traidor, e José Seguro, o Inseguro, tornaram ainda mais difícil a governação em Portugal e deveriam ir para a cadeia sem direito a julgamento.

  3. agradecido e mais descansado, afinal ainda há esperança de que não está tudo a dormir,desenterrem os gládios!!! obrigado srª Jornalista e sr. Editor

    • Muito obrigado. Neste caso o mérito vai todo para a jornalista. 🙂 o meu contributo consistiu apenas em “editar” um pouco e “distribuir”.
      Mas não estamos a dormir e muito menos assustados.
      Um abraço

      • Alô João! O que é que editaste no meu texto? Desculpa perguntar, mas não estou com tempo para ler a tua partilha na íntegra. Além de partilhares o meu blogue, mexeste no meu texto?? Ou a edição de que falas são apenas as fotos do Balsemão e do hotel Bilderberg que inseriste no teu blogue?

      • Olá Marisa, no texto não editei nada (posso ter posto um espaço ou outro a seguir a uma vírgula). A edição a que me refiro, para além das fotos e da inserção de novos links, refere-se à “publicação” do texto e sua respectiva distribuição, e com esta a co-responsabilização com eventuais consequências. Como venho de uma família de livreiros nunca abandonei exactamente esta acepção da palavra. Mas não te preocupes, como podes verificar não toquei no texto. Aliás, como podes constatar, desde o momento em que disseste “podes e deves”, jamais alteraria alguma coisa sem o teu conhecimento e expressa autorização. Esse é o meu modo de proceder enquanto “editor” que é o que faço desde sempre. 🙂
        Espero que estejas de acordo.
        Abraço
        JS

      • Ora essa Marisa. 🙂 não tens de que pedir desculpa de nada. Perguntar é o caminho mais curto para saber. Hehe. Eu faço o mesmo. Antes isso que alimentar dúvidas.
        Abraço
        JS

  4. Cara Marisa, olá.
    Fui assistir à gravação do programa Quem Diria com Pinto Balsemão e Simone de Oliveira. E posso dizer-lhe que não foi dado muito tempo à questão Bilderberg…
    Balsemão limitou-se a tentar relativizar essa ‘versão maquiavélica e conspiracional’ de que lá se tomam as grandes decisões sobre o destino do mundo e que era simplesmente uma reunião em que se mantinham as boas relações entre Europa e América (ou EUA, já não me recordo).
    E rapidamente os dois jornalistas disseram amén e passaram para outras questões…
    Parabéns pela coragem em divulgar publicamente o seu email e respetiva (não) resposta.

    Abraço!

  5. Bom trabalho, Marisa. Pelos vistos, .. este Balsemão é maluco, só posso dizer desta gente isto, eu sei … e também paciência, e muita, temos para os aturar… que se chega a um ponto de ter que rever a nossa própria defesa da ética e moral … e pensar que temos, mesmo, de forma bruta, mais cedo que tarde, pisar a cabeça destas cobras … salve seja para os próprios bichos. Vai rastejando por aí, estamos nós aqui acomodados no nosso helenismo, e de repente eles já têm o nosso corpo todo engolido, e nem sentimos. Esta cobra da Impresa nem sequer faz zumbido, morde pela calada, e anda por aí, neste deserto de ideias e de lideres a prometer o “reino” a idiotas que abanam o rabinho logo que o “dono” lhes acena com um osso. Mas … porque será que os Bilderberg não gostam que se saibam das suas reuniões ?

      • …é tarde – cada vez mais gente vai sabendo das manhas desta gente e, amigo fernando (quem gosta de gatos é meu amigo!), não gosto de violência mas não vejo k eles deixarão o poder pacíficamente. São como Saddam, Khadaffi, Saddat, Erdogan, Murssi (este tb ja foi) … Espero estar errado, mas receio um banho de sangue!
        ELES é k compram apoiantes, escumalha capazes de tudo!

    • Vou citar uma coisa que até parecer mal pq. é usada nos grupos de AA e NA e tal, e vem de um pastor protestante 🙂 Mas acho que diz tudo sobre a forma que podemos/devemos levar a vida. “Que tenhamos serenidade para aceitar aquilo que não podemos mudar, força para mudar o que podemos e discernimento para entender o que podemos e não podemos mudar”. É aqui na última parte, sobretudo, que julgo que a maioria falha. Pensa que não pode mudar quase nada, mas eu estou convencida que são mais as alarvidades que podemos mudar (para melhor, claro) do que as que não podemos. Até a alarvidade de o homo sapiens continuar ainda hoje, no sec. 21 d.C., um perfeito mentecapto (e 25% da população ser completamnete analfabeta )…. Até isso acho que é facílimo mudar. Facílimo se houver a tal força para mudar o que podemos mudar 🙂 Sendo que a força mental é como as dos músculos: meia dúzia de dias de ginásio fazem logo incríveis milagres em termos de desenvoltura 🙂

      • Pois eu gosto muito dessa frase que citas, que, na minha opinião encerra muita sabedoria. E concordo contigo. Tudo é possível mudar. A grande questão é a dose de trabalho que temos de aplicar à tarefa.

      • Para fazer a mudança em liberdade, é necessário criar “libertários”,para se poder acabar com este liberalismo selvagem sem rei nem roque, que vai desmoralizando e destruindo a verdadeira democracia .Cada vez estou mais convencido que foi nas falsas democracias que nasceram os ditadores, que têm martirizado este mundo !!! Não vale a pena citar nomes, porque todas as tentativas para acabar com os ditadores, deram o resultado que todos estamos a ver neste momento,basta ver o que se passa no mediterraneo e em outras partes do mundo, em que a fuga da pobreza e da miséria mostram todo resultado deste liberalismo selvagem, que está a ser implementado, por certas “elites” secretas, em conluios e concílios de poderosos para acabar com a verdadeira democracia em que todos devem participar, dando o que sabem e podem, e recebam o que precisam para as suas necessidades, sem serem humilhados e ofendidos por pretensas “elites”, que se aproveitam das fraquezas humanas, para nivelarem por baixo todo o seu bem estar !!! Bem haja quem tem força,idade e lucidez suficiente para dizer não a esta comunicação social, cada vez mais “escura e opaca”, sem luz suficiente que nos mostre todo o despreso, que merece toda esta classe de políticos vendidos ,mal instruidos e educados, que tomaram de assalto este país, e o estão a levar à ruína !!!

  6. Como é sabido é mais uma maçonaria , mais uma opus dei , mais uma caverna dos ossos e
    mais qualquer outro sinistro grupo , em que não aparece lá nenhum varredor da rua , nenhum pedreiro , nenhum sem abrigo . Só aparece gente ávida de poder e de dinheiro , para serem mais um dominadores do mundo , sem escrúpulos , à maneira deles .
    A nova escravatura e discriminação têm actualmente outros requintes de malvadez .

    • Bem sei, mas isso é edição. Inseri apenas as 2 imagens que considerei relevantes, mesmo indispensáveis, e que deixam o conteúdo textual intocado. Concordas?
      Assim a leitura fica mais agradável…. 🙂
      JS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s