A melhor startup do mundo saída de um MBA é portuguesa – Jornal Tornado


A melhor startup do mundo, saída de um MBA, é portuguesa e foi fundada por dois alumni do The Lisbon MBA, Luís Martins e Kiruba Eswaran. A Zaask recebeu o…

Source: A melhor startup do mundo saída de um MBA é portuguesa – Jornal Tornado

Facebook, Amazon, Netflix e Google Perdem Brilho e Dólares aos Milhões – Jornal Tornado


O bando FANG (Facebook, Amazon, Netflix e Google), também já referido como ‘os quatro cavaleiros da bolha Internet’, parece perder brilho e tem todas as

Source: Facebook, Amazon, Netflix e Google Perdem Brilho e Dólares aos Milhões – Jornal Tornado

Bruxelas não percebeu OE social – Jornal Tornado


A Comissão Europeia está a por em causa os orçamentos de Estado da Itália, Lituânia, Áustria, Alemanha, França e Portugal, cada um por diferentes motivos, numa tentativa de harmonizar as…

Source: Bruxelas não percebeu OE social – Jornal Tornado

Tornado: o primeiro grande combate de egos


12022532_952695518107551_5176193687061417442_o

 

Sob o olhar sábio e indulgente da Jacinta Romão, da Direcção da Tornado Cooperativa, aqui está a evidência do 1º Combate de Egos, entre os indicadores da Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Vera Galamba, e o Presidente da Direcção, eu próprio.

Os dedos são na realidade “sabres de luz” e a Vera está a dizer ao João: “My source is bigger than yours

O “retrato” deste momento histórico é da autoria do repórter de imagem José Lorvão

BISCATES – “Os dealers da comunicação social” – por Carlos de Matos Gomes


a Ler. Um assunto para reflectir.

 

BISCATES – “Os dealers da comunicação social” – por Carlos de Matos Gomes.

Pilotos, Responsabilidade e Cerveja


Meditações na Cervejaria
(com a devida vénia à Ana Cristina Pereira Leonardo e ao seu blogue “Meditação na Pastelaria”)

cervejaria-trindadeTenho andado a ponderar bastante sobre o tema da Responsabilidade, no sentido ontológico-ético-político-geográfico e cheguei à seguinte conclusão sustentada (pelo menos tão sustentável como as conclusões do Passos Coelho, do Pires de Lima – ministro da Cerveja – e restantes apêndices do Governo; da Helena Matos, do João Vieira Pereira, do José Manuel Fernandes e do Camilo Lourenço):

– A responsabilidade pela presente situação que o país atravessa é integralmente imputável aos Pilotos!

tap-portugal-airbus-a330-200

– Aos Pilotos da TAP? perguntarão alguns de forma enfática.

– Não! É da responsabilidade dos Pilotos, tout court: desde aquele primeiro bandalho que nos idos de 1415 dirigiu a frota até Ceuta, passando pelos Pilotos das armadas do Bartomeu Perestrelo e do Vasco da Gama, da Armada frustrada a Tãnger e dos que nos conduziram até Alcácer-Quibir.
A desprezível prole que nos legaram, representada nos dias que correm pelos Pilotos da TAP, prepara-se agora para “precipitar” o país contra uma montanha, metafórica, fazendo soçobrar os esforços dos nossos magníficos Governantes que, desde então, sempre com grande lisura, sapiência e diplomacia têm lutado para evitar o naufrágio eminente, e evidente, num esforço sobre-humano a remar contra a maré.

caravelas_portuguesas

A prova disso é o crescimento ímpar das exportações, mérito exclusivo do homérico trabalho, empenho e competência de Sua Coelheza, não relevando para este efeito a desvalorização do Euro face às restantes moedas de referência, nem a descida do preço do petróleo nos mercados internacionais ou, muito menos, a ubíqua presença do BCE nos mercados secundários da Dívida, como afirmam algumas mentes torpes e mal intencionadas.

Igualmente irrelevantes são os mega-desfalques no BPN e no BES, fungíveis através de dinheiros públicos. Os assaltos realizados a partir da administração dos Bancos, as falcatruas do Sistema financeiro, com as taxas e os empréstimos predatórios, bem como as trapaças com os fundos europeus nada têm que ver com a dívida muito menos com o défice, apesar do que insinuam alguns tipos mal-formados e péssimas pessoas, que se não são “pobrezinhos” imitam muito bem.

Também os negócios do Brasil, realizados pela actual administração, como a peregrina ideia de comprar uma empresa falida cujo prejuízo estimado já vai em 800 milhões, são alheios à descapitalização da TAP. Este foi um negócio que revela assinalável “visão estratégica” (pelo menos em termos de garantir empregos milionários, num futuro próximo, a alguns governantes, ex-governantes e futuros ex-governantes).

Devia apurar-se o custo exacto de um Piloto por contraposição ao custo consolidado de cada velho e decidir quais deverão ser eliminados em primeiro lugar.

A Bem da Nação
João de Sousa