Gustav Mahler – Adagietto | Leonard Bernstein


O 4º andamento da V sinfonia – escolhido por Luchino Visconti como palco sonoro do filme “Morte em Veneza”, baseado na obra homónima de Thomas Mann Der Tod in Venedig, 1912.

Aqui dirigido por Leonard Bernstein. Há outras interpretações igualmente, ou até mais, interessantes.

Comunicação ao Congresso dos Poetas


No lançamento do livro de Poesia “Antes do Destino”, de Márcio Candoso

Um vídeo “curioso”, com um som que interpela a boa vontade dos assistentes, aqui fica “imortalizado” o poema que, a meu ver, define obra e autor. Dito por mim.

Para o Márcio a minha amizade e admiração! O Poeta é Ele!

Quadra inédita do Ricardo Salgado (a mote alheio)


card_ricard_salgado_bes3

"Ó dívida que vais tão alta,
Que até me deixas manco.
Ó Passos, passa-me a escada,
Q'eu não chego lá c'o Banco!"

Devido ao exacerbado consumo de queijo da Serra fui acometido de um olvido selectivo que me impede de recordar o nome do autor, mesmo considerando que está escrito no título.

Cada vez mais actual… de novo!


(Escrita pelos presos de Caxias, por todos cantada sempre que algum deles era levado para a tortura)

Hino de Caxias

Longos corredores nas trevas percorremos
sob o olhar feroz dos carcereiros
mas nem a luz dos olhos que perdemos
nos faz perder a fé nos companheiros.

Vá camarada mais um passo
que já uma estrela se levanta
cada fio de vontade são dois braços
e cada braço uma alavanca.

Cortam o sol por sobre os nossos olhos
muros e grades encerram horizontes
mas nós sabemos onde a vida passa
e a nossa esperança é o mais alto dos montes.

Vá camarada mais um passo
que já uma estrela se levanta
cada fio de vontade são dois braços
e cada braço uma alavanca.

Podem rasgar meu corpo à chicotada
podem calar meu grito enrouquecido
que para viver de alma ajoelhada
vale bem mais morrer de rosto erguido.

Vá camarada mais um passo
que já uma estrela se levanta
cada fio de vontade são dois braços
e cada braço uma alavanca.